Bomba caseira é jogada na casa de testemunha da morte do marido da deputada Flordelis: ‘Querem me calar’

Ouvir Áudio

Policiais da DH na rua onde mora a testemunha | Foto: Reprodução

Uma bomba caseira foi jogada na madrugada de sexta-feira na casa de Regiane Rabelo, uma das testemunhas que prestaram depoimento durante as investigações da morte do pastor Anderson do Carmo. Segundo a empresária, o episódio foi registrado na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), responsável pelo inquérito sobre o assassinato. A residência fica em Itaipuaçu, na Região Metropolitana do Rio.

Na manhã dessa sexta-feira, agentes da DH estiveram na casa de Regiane. Uma perícia foi feita no local. A empresária relata que a bomba foi jogada por volta de meia-noite em um corredor externo da casa. Ela e o marido estavam na residência. Regiane acredita estar sendo vítima de retaliações por ter denunciado a deputada federal Flordelis dos Santos e outros membros da família à polícia. A empresária é ex-patroa de Lucas Cézar dos Santos Souza, filho adotivo de Flordelis, preso acusado de envolvimento no crime.

– Na hora, foi um susto. A mãe da minha vizinha chegou a se jogar no chão com o barulho. A intenção era me dar um susto mesmo, para eu calar minha boca. Mas isso não vai acontecer. Fiquei assustada, mas já apssou. Agora que não vão me calar – afirma Regiane.

Agentes da DH coletaram imagens de câmeras de segurança no entorno da casa para tentar identificar o responsável por jogar o artefato. O EXTRA não conseguiu contato com a deputada e nem com sua defesa.

Filho transferido para Bangu 1

Também nessa sexta-feira, Flávio dos Santos Rodrigues, filho de Flordelis também preso acusado de matar o pastor Anderson do Carmo, foi transferido para a penitenciária Laércio da Costa Pellegrino, conhecida como Bangu 1, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio. Ele foi levado para a unidade de segurança máxima após decisão da juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói.

A magistrada havia determinado em dezembro do ano passado que Flávio fosse transferido para Bangu 1 por suspeitas de estar usando um telefone celular para se comunicar com a mãe. O pedido foi feito pelo Ministério Público estadual. No entanto, a juíza teve conhecimento na última semana de que ordem judicial nunca havia sido cumprida e Flávio estava no presídio Joaquim Ferreira de Souza, conhecido como Bangu 8, em Gericinó. Com isso, Nearis determinou que o filho de Flordelis fosse para Bangu1.

A Secretaria de Administração Penitenciária do Rio (Seap) enviou um ofício à Justiça informando que Flávio foi transferido às 14h dessa sexta-feira. Lucas e Flávio estão presos desde junho do ano passado. O primeiro é acusado de ajudar a comprar a arma usada no crime o segundo, de atirar no pastor.

A juíza também determinou que os filhos de Flordelis que foram presos no último dia 24 fiquem em unidades prisionais diferentes. André Luiz de Oliveira, Carlos Ubiraci Francisco da Silva e Adriano dos Santos Rodrigues estavam em Bangu 8, mesma unidade que Flávio. Já Marzy Teixeira da Silva e Simone dos Santos Rodrigues também estavam no mesmo presídio.

Procurada pelo EXTRA, a Seap informou que a ordem judicial já foi cumprida e os filhos de Flordelis, separados.

Extra

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *