Mulher recebe rim de ex-esposa do marido dois dias após se casar: ‘Salvou minha vida’

Ouvir Áudio

Foto: Reprodução/Facebook

Debby Neal-Strickland se casou com seu namorado de mais de 10 anos em uma igreja na Flórida, nos Estados Unidos. Dois dias depois, ela estaria doando um de seus rins para Mylaen Merthe, ex-mulher de seu novo marido. Isso mesmo, Debby trocou o vestido por uma vestimenta hospitalar para doar o órgão à Mylen, de 59 anos, que já havia sido internada por conta de uma doença renal.

Antes do gesto nobre acontecer, Merthe já tinha recorrido ao irmão, mas por conta da incompatibilidade o transplante não foi possível. Foi neste momento que Debby resolveu oferecer ajuda.

O caso é um pouco mais complexo, o que engrandece ainda mais a atitude de Debby. Divorciado há aproximadamente duas décadas, Jim e Mylaen mantêm um relacionamento saudável por conta da criação dos dois filhos. Anos depois, Jim se envolveu com Debby, de 56 anos, e a partir daí as duas começaram a frequentar os mesmo espaços familiares, apesar de não serem amigas.

A relação entre as duas começa a tomar outro rumo quando Debby soube que Mylaen seria avó pela primeira vez, pois sua filha estava grávida. Porém, com a doença renal, a ex-mulher do seu marido poderia não ver o bebê. “Eu simplesmente não poderia não tentar mudar isso”, disse ela para a Associated Press. “Deus me disse: ‘Você é compatível e precisa fazer isso’”.

Transplante

Ao passar pelo teste para verificar a compatibilidade, Debby teve ainda de carregar um jarro de coleta de urina por 24 horas. Mylaen disse que a atual esposa do ex-companheiro “sabia que isso [ser avó] é tudo que eu sempre quis”, e ressalta que ela “fez isso de coração”.

Em meio aos adiamentos por conta da pandemia de Covid, finalmente o transplante aconteceu dois dias depois da união de Jim e Debby. Em 22 de novembro de 2020 eles se casaram e posteriormente a doadora do rim disse: “Foi o dia mais incrível da minha vida, até dois dias depois. Esse também foi o dia mais incrível da minha vida”.

Apesar dos protocolos rígidos da pandemia, Debby e Mylaen conseguiram permissão para se ver logo após a cirurgia. “Também estávamos com nossas máscaras, então choramos e, claro, nossas barrigas estavam doendo por causa das incisões”, disse Mylaen. “Nós meio que rimos e choramos”. Mylaen disse que Debby parecia outra pessoa após o transplante: “Ela parecia tão viva e revitalizada”.

Avó em dose dupla

Mylaen pode segurar e alimentar seu neto, Jackson, além de ir morar com a filha e o genro. “Eu estava tipo, ‘estou realmente aqui para ver isso e estou segurando este pequeno bebê’”, comemorou ela.

Sem restrições, a nova avó de Ocala, nos Estados Unidos, ainda pode ver mais um neto, que nasceu em março deste ano. Agora, Debby e Mylaen se consideram irmãs renais e já planejam uma viagem em família para o lago Rabun, no estado norte-americano da Geórgia. “É disso que se trata o mundo. Família. Precisamos ficar juntos”, disse Mylaen. “Ela salvou minha vida.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *