Pai encontra filho sequestrado após 58 anos.

Ouvir Áudio

Depois de 58 anos procurando o filho sequestrado, um chinês de 90 anos finalmente se reencontrou com ele. De acordo com publicação do China Today News, o homem foi sequestrado ainda criança em uma estação de trem.

Depois de 58 anos, pai encontra filho sequestrado em estação de trem na China.

Luo Fengkun se reencontrou com seu filho, Fu Guilin, agora com 60 anos, na cidade de Zaozhuang, localizada na província chinesa de Shandong. O departamento de segurança pública da cidade fez questão de registrar o encontro. Nas imagens, é possível ver o idoso super emocionado ao se deparar com o filho desaparecido aparece de repente e o abraça.

Em entrevista ao China Today News, Fengkun contou que em janeiro de 1963, ele, na época com 32 anos, e seu filho de 2 anos, estavam esperando o trem na estação de trem e enquanto tirava uma soneca, o menino foi levado embora.

“Eu gritei e corri em todos os lugares ao longo da estação de trem. Gritei a noite toda e caminhei a noite toda, mas a criança era muito jovem naquela época. Ele provavelmente nem sabia que estava chamando por ele”, disse. Quando chegou a seu destino, ele continuou a procurá-lo, mas sem sucesso. O idoso ainda falou que todos os anos, quando saía para o trabalho com os outros filhos, ficavam observando estranhos na rua, na esperança de reconhecê-lo. “Eu queria encontrar alguém que se parecia comigo”.

Ele ainda revelou em 2010, sua esposa morreu e ela disse à família para nunca desistir de procurar o garoto. Em 2015, Luo Fengkun voltou à delegacia para relatar o caso na esperança de ter alguma novidade sobre o caso.

Fu Guilin teria sido adotado e descobriu que as pessoas que o criavam não eram seus verdadeiros pais. “Quando eu tinha 17 anos, acidentalmente ouvi meus pais cochichando em casa e então descobri que não era de sangue”. Apesar da descoberta, ele nunca comentou a descoberta. No entanto, depois de se tornar pai, decidiu encotrar seus pais verdadeiros e foi exatemente o que fez.

Em 2017, após a morte de seus pais adotivos, Fu Guilin entrou na delegacia para coletar sangue pela primeira vez e pediu ajuda à polícia. O que ele não sabia era que o nome na carteira de identidade era um novo nome dado a ele por seus pais adotivos. Devido a dificuldades não obtiveram pistas valiosas por muito tempo.

Em janeiro deste ano, o Ministério da Segurança Pública implantou órgãos de segurança pública em todo o país para realizar a operação batizada de “Reunião” que tinha como objetivo identificar os casos de sequestro e tráfico de crianças, além de prender os suspeitos pelos crimes e encontrar desaparecidos e crianças raptadas. Cong Sixin, chefe do Despartamento de Investigação Criminal e do Departamento de Segurança Pública da cidade contou que o caso de Fu o chamou a atenção: “Retiramos este caso novamente e depositamos nossas esperanças na tecnologia de DNA”.

Site Umarizalense

Fonte: Revista Marie Claire

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *