Três policiais militares são afastados das ruas durante investigação sobre morte de estudante em Mossoró

Ouvir Áudio

Três policiais militares foram afastados dos trabalhos operacionais e colocados em funções administrativas durante um inquérito que foi aberto pela Polícia Militar para apurar as circunstâncias da morte de um homem de 23 anos em Mossoró, no Oeste potiguar.

O universitário Luan Barreto, de 23 anos, foi baleado na noite da última quinta-feira (1º), quando estava indo ao centro da cidade, em uma motocicleta, buscar a namorada no trabalho.

Até agora, ninguém sabe a autoria do disparo que matou o rapaz. Porém, uma das hipóteses seria de que o jovem teria sido atingido pelos militares, que informaram ao comando do 2º Batalhão que estavam em diligências na área.

Em uma foto, é possível ver duas viaturas ao lado de Luan. Foram os policiais que levaram o estudante ao Hospital Tarcísio Maia. As armas dos militares foram recolhidas pela PM.

Segundo o comandante do 2º Batalhão da PM, major Carlos Souza, o inquérito tem prazo inicial de 30 dias. O caso também é investigado pela Polícia Civil.

“O encarregado do inquérito vai colher as provas, o relato também da população, para que a gente chegue ao objetivo de saber quem é o autor. Até que seja apurado, concluído, a gente saber quem é o autor, eles vão ficar afastados de suas funções ostensivas. Vão trabalhar administrativamente”, afirmou o comandante.

O sepultamento de Luan Barreto aconteceu na manhã deste sábado (3). Familiares e amigos cobraram respostas sobre o caso.

“As pessoas perguntam pra gente o que aconteceu e a gente não sabe dizer. A gente sabe que era um rapaz trabalhador, de bem, com todo um futuro e cheio de sonhos”, afirmou a tia dele, Lígia Melo.

“Um rapaz muito esforçado, muito dedicado, e infelizmente teve essa tragédia que interrompeu a vida dele”, lamentou a amiga da vítima, Paula Caminha.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *