Carro desaparecido em 2014 surge em rio com ossada humana em SP

Ouvir Áudio

Por Alexsandro Passarinho

Um carro com ossos humanos foi encontrado na tarde de ontem (16) na cidade de Olímpia, a 436 km da capital paulista. Pela placa do carro, trata-se do mesmo veículo desaparecido em 2014 com dois eletricistas a bordo.

O Corpo de Bombeiros confirmou ao UOL o resgate do carro e as suspeitas. O veículo foi avistado depois que o nível do rio Cachoeirinha baixou em razão da seca que castiga a região Noroeste de São Paulo. Um homem que pescava sobre uma ponte avistou o carro e chamou as autoridades.

Os mergulhadores do Corpo de Bombeiros encontraram no veículo a parte de trás de um crânio e carcaça de corpos em decomposição. Embora a Polícia Civil tenha aberto uma investigação para confirmar de quem são os ossos, a suspeita é de que se trata dos eletricistas Rodrigo Alonso Lopes, 28, e Janielson Daniel Adelino, 20, que desapareceram naquele mesmo carro em 2014.

Na época do desaparecimento, a noiva de Rodrigo chegou a registrar um boletim de ocorrência em uma delegacia de Barretos (SP). Ela contou que o noivo e o colega de trabalho desapareceram depois de visitarem um rancho na região de Olímpia conhecida como Cachoeirinha.

Outras testemunhas afirmaram ter visto os dois entrando juntos em um carro preto, da mesma cor do veículo encontrado no rio. Desde então, os dois nunca foram vistos.

Os oficiais confirmam que o carro encontrado no rio é o mesmo que desapareceu em 2014, mas afirmam que apenas um exame de DNA poderá dizer se os ossos são dos eletricistas.

Trata-se de um Astra Sedan preto, ano 2004, placas DDN-0651, Olímpia.

A mãe de Rodrigo acompanhou o resgate do carro e deverá fornecer material genético para ajudar a descobrir se o rapaz é mesmo uma das vítimas.

Ao UOL, a Secretaria de Segurança também confirmou o caso por meio da seguinte nota:

A Polícia Civil de Olímpia investiga o caso por meio de inquérito policial. A autoridade atua para identificar as ossadas encontradas e realiza diligências para esclarecer os fatos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *