Trocava os nomes dos meus filhos”, diz advogado que teve confusão mental após Covid

Ouvir Áudio

O advogado Ruy Rodrigues, de 48 anos, se surpreendeu com os sintomas neurológicos que apresentou logo depois de se livrar da Covid-19. Ruy foi infectado pelo coronavírus em março deste ano e ficou cerca de um mês em tratamento no Hospital Brasília, sendo que durante parte do período precisou de cuidados em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Ainda no hospital, mas já no quarto após ter passado pela UTI, ele questionou uma das enfermeiras: “Estou há dois dias aqui. Não é hora de receber alta?” A moça respondeu: “Doutor Ruy, o senhor está aqui há 26 dias aqui”. Ele havia perdido completamente a noção de tempo.

Ao retornar para casa, vinte quilos mais magro e sentindo fraqueza muscular, ele começou a apresentar outros episódios de perda de memória. “Esquecia contas que já tinha pago ou o nome de alguém muito próximo. Algumas vezes, confundi os nomes dos meus próprios filhos”, relata o advogado que é pai de seis e tem dois netos.

O médico intensivista Rodrigo Biondi que acompanha o caso de Ruy desde a internação explica que ele desenvolveu uma sequela relativamente comum da Covid-19, conhecida como cérebro de Covid. “Não é uma regra, mas alguns pacientes apresentam episódios de confusão mental, lapsos de memória. Até aqui, sabemos que isso se deve à inflamação que o coronavírus provoca no sistema nervoso”, explica.

Saiba como o coronavírus ataca o corpo:

No caso do advogado, passados cinco meses da Covid, os episódios de esquecimento desapareceram. Apenas uma dor de cabeça muito forte ainda aparece de vez em quando. O paciente tem sido acompanhado com check-ups mensais.

“A indicação é que as pessoas que desenvolveram a forma grave acompanhem a saúde mais de perto por pelo menos um ano. Como a doença é muito nova, precisamos avaliar se há comprometimentos”, explica Biondi, que trabalha no Hospital Brasília.

Ruy tem cumprido as recomendações com atenção. Também está sendo acompanhado por um geriatra – e tem tomado, diariamente, 12 comprimidos de vitaminas.

Ter escapado de uma doença que deixou enlutadas tantas famílias fez com que ele desenvolvesse um novo gosto pela vida. “Dou muito mais valor às coisas simples. Ao sair do hospital e ver a rua, novamente, me emocionei com o movimento dos carros”, relata.

Do Metrópoles

2 thoughts on “Trocava os nomes dos meus filhos”, diz advogado que teve confusão mental após Covid

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *