Odiava a filha”, diz testemunha sobre mãe que matou menina de 11 anos

Ouvir Áudio

A pequena Clara Regina Pereira Santos, de 11 anos, era constantemente agredida pela mãe, informou uma testemunha ao G1. A menina foi encontrada morta com sinais de espancamento no Guarujá, na noite que terça-feira (24).

A mãe da criança, que tem outros oito filhos, havia fugido após o crime, mas foi localizada e presa na quarta-feira (25). Conforme o relato da testemunha, a mãe não se dava bem com a menina. “Não sei explicar o motivo dela não gostar da filha. Ela realmente odiava a filha”, disse a testemunha ao G1. “As outras filhas, geralmente, não apanhavam”, contou.
Segundo o G1, o Conselho Tutelar da cidade chegou a ser acionado por conta das agressões. No dia da morte da menina, conselheiros tutelares e assistentes sociais teriam ido à residência da família.

Eles chegaram a solicitar que Clara e pelo menos outros três irmãos fossem à uma unidade de saúde passar por exames, o que não aconteceu. “Era para ver se tinha algum hematoma de agressão, mas não pediram pra ver a menina”, conta.

“Disseram que, se não fosse feito, iriam recolher as crianças”, explicou a testemunha ao G1. Após o crime contra a menina, três filhos menores de idade da mulher, de 16, 14 e 8 anos estão sob a guarda do Conselho Tutelar de Guarujá.

Do Isto É

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *