Vereador Ubiratan encaminha ofícios para Saúde e Infraestrutura; veja

Ouvir Áudio

O vereador Ubiratan Paiva (PSB) quer saber se a Secretaria Municipal de Saúde de Umarizal realizou licitação para contratação de laboratório para realização de exames da população. O pedido da informação está em um ofício encaminhado pelo parlamentar na sessão desta terça-feira, 31.
“Tinha com a Laboclínica, mas foi rescindido o contrato. Eu já pedi uma vez, mas não veio resposta. Quero que essas informações venham e se já foi feita a licitação, que venha com o processo o processo licitatório”, pediu.

Além dos exames, Ubiratan também quer saber qual empresa ganhou a licitação para fornecimento de próteses dentárias. “ Gostaria que fosse enviada ainda a lista de quantas pessoas já foram contempladas com prótese dentária em nosso município”.

Infraestrutura

Outra cobrança encaminhada por meio de ofício por Ubiratan foi direcionada a Secretaria Municipal de Infraestrutura. O vereador quer que seja resolvido um problema com um bueiro na rua Rio Umari que, além do mal cheio, tem gerado outros prejuízos para população.

“Já vi vereador Marcos mandando diversos ofícios sobre essa bueiro também. Ali está uma coisa feia, suja. Precisa ser aterrado e depois fazer um piso de concreto. Resolve o problema. Mas se deixar do jeito que estar só aterrando, vem o inverno e vai juntar lama, barro e fica aquela podridão. Precisa-se limpar e fazer um piso de concreto”, argumenta.

O vereador também iria cobrar a troca de lâmpadas queimadas em postes da cidade, ação que resolveria a escuridão que tem tomado algumas localidades, porém um ofício com esta solicitação já havia sido encaminhado por outro parlamentar.

Ainda assim, Ubiratan aproveitou para lamentar a falta de manutenção e suporte da prefeitura de Umarizal para esta demanda. “Falei com os ex-secretários Zome e Mazinho e eles me disseram que em suas épocas havia estoque na secretaria. Estoque de 20, 30 lâmpadas, 10 reatores. Quando se cobrava, o cidadão era atendido. Hoje, as ruas estão há mais de 15 dias no escuro e o secretário me disse que não havia lâmpadas e que não tinha como fazer o serviço”, lamentou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *