Brasileira que morreu em travessia para os EUA já morou no país e seria avó de uma menina em quatro meses

Ouvir Áudio

A técnica de enfermagem Lenilda Oliveira dos Santos, de 49 anos, que morreu ao atravessar a fronteira do México com os Estados Unidos, já havia entrado ilegalmente no país em 2003 com o ex-marido e um dos irmãos, Moizaniel Oliveira. Ela permaneceu nos EUA por quase dez anos, período no qual trabalhou como “house cleaner”, ou faxineira, e depois retornou ao Brasil.

Seu outro irmão, Leci Pereira, conta que na época em que esteve fora ela conseguia pagar a faculdade e dar uma “boa vida” a suas duas filhas.

— Ela decidiu voltar porque acreditou que a situação no Brasil estava melhor e já tinha pago parte dos estudos das filhas. Ao chegar aqui, não conseguiu continuar pagando a faculdade delas, mesmo trabalhando. O profissional ganha muito pouco aqui — diz.

Leci explica que ela quis voltar para os EUA para poder ajudar as filhas — uma delas, Genifer Oliveira, tem um filho de seis anos e está grávida de cinco meses.

— Minha irmã queria que fosse uma menina, e quando ela estava na estrada a Genifer ligou e falou que era. Ela ficou toda feliz — afirma.

Lenilda iria se juntar a Moizaniel, que voltou à América do Norte em 2018 e foi autorizado a ingressar legalmente por ter um filho pequeno.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *