O pedreiro Fábio Guedes dos Santos, de 45 anos, pai do adolescente Guilherme Aurélio Leone, 12, morto ao ser atingido pelo muro de uma escola na cidade de Itabuna, no Sul da Bahia, não resistiu e morreu por volta das 16h deste sábado (16).

Fábio estava internado em estado grave no Hospital de Base, para onde foi levado depois de ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Ele e o filho voltavam da feira, por volta das 10h, quando parte do muro da Escola Municipal Marechal Castelo Branco desabou sobre os dois. O menino teve a morte constata no local pelo Samu.

O prefeito de Itabuna, Augusto Castro, decretou luto de três dias na cidade.

A escola, que era da rede estadual há alguns e depois foi municipalizada, está entre as unidades que serão requalificadas antes da volta às aulas em regime presencial, segundo a prefeitura de Itabuna.

Em nota, a prefeitura diz também que está prestando assistência à família. “Por determinação do prefeito Augusto Castro, as secretarias municipais de Promoção Social e Combate à Pobreza, Saúde e Educação destacaram profissionais para prestar toda a assistência necessária, incluindo assistência psicológica, social e material”.

Diz ainda que a Defesa Civil e Guarda Civil tomarão todas as medidas para isolar a área e a Procuradoria-Geral do Município vai acompanhar o caso, incluindo o inquérito da Polícia Civil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui