Em Nova Aurora a violência se resume a roubos de panelas ou bujões de gás

Ouvir Áudio

A pequena Nova Aurora, no sudoeste goiano, se tornou um oásis de tranquilidade quando o assunto é segurança pública. O município de apenas 2,3 mil habitantes não registra homicídios há 10 anos.

O Metrópoles foi até a cidade na última segunda-feira (11/10) e viu de perto o clima de paz. Logo na entrada da área urbana do município, que fica a 260 km de Goiânia, chama a atenção a procissão de mulheres que fazem caminhada sozinhas, na beira da rodovia GO-210, no começo da manhã.

“A gente ainda mora em um paraíso muito bom”, define a aposentada Terezinha de Fátima, de 66 anos. Os assassinatos de que ela se lembra ocorreram quando era jovem e vivia na zona rural de Nova Aurora. As motivações segundo ela eram as “relias”, que é quando alguém “toma nojo” da cara do outro.

As ocorrências mais comuns relatadas por moradores atualmente? Jovens que empinam motos em momentos de lazer e furtos de panelas ou bujões de gás em fazendas.

O aposentado Altamir Ribeiro, de 81 anos, nasceu em Nova Aurora, e lembra de memória os poucos assassinatos que ocorreram na cidade. O último foi no dia 21 de fevereiro de 2011. Os outros casos são da década de 1990 para trás.

“Aqui é todo mundo das mesmas famílias. Para falar a verdade, a gente aqui sai e deixa o carro aberto”, conta o aposentado.

Em Nova Aurora, “todo mundo se conhece”, repetiram moradores ouvidos pela reportagem. Ao chegar no cemitério municipal, é possível ver que muitos dos mortos têm os mesmos sobrenomes. São as principais famílias que formaram o município – os Pimenta, os Borba e os Carneiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *