Homem aluga cobra letal para matar a esposa e casar com amante

Ouvir Áudio

Um indiano foi condenado por alugar uma cobra extremamente venenosa para matar a própria esposa. Segundo a investigação que levou um ano para ser concluída, o sujeito cometeu o crime para se casar com a amante e ficar com as joias da vítima.
O caso foi considerado uma intricada trama de mistério, iniciada em maio do ano passado, no distrito de Kollam.

Em março de 2020, Uthra, a esposa do acusado, recebeu uma picada de cobra em casa, ficou gravemente debilitada, mas aos poucos começou a se recuperar.

Mas em maio, ainda lidando com algumas sequelas, ela foi picada novamente e faleceu.

As autoridades locais não suspeitaram da situação, mas a família de Uthra sim. Os pais fizeram uma queixa em uma delegacia local e exigiram uma investigação para esclarecer o caso.

Um ano de apuração depois, os policiais conseguiram provar que o homem identificado como P. Sooraj, de 32 anos, pesquisou por meses como manusear cobras venenosas e contratou os serviços de um tratador local para alugar uma serpente letal, que não teve a espécie divulgada.

Após ser interrogado, o tratador admitiu que havia alugado os animais para Sooraj. Para garantir que a cobra picaria de forma efetiva a esposa, o assassino colocou pílulas para dormir em uma bebida, antes de colocar o predador em cima dela.

Para tirar a atenção de si próprio, Sooraj e a família acusaram o irmão de Uthra, dizendo que ele pretendia herdar a fortuna da família dela sozinho.

Segundo o Hindustan Times, especialistas em cobras afirmaram também que o tamanho das mordidas indicavam que o animal teria sido induzido a morder a vítima.

O motivo foi revelado no final da investigação: Sooraj pretendia casar com uma amante, logo após vender as joias dela.

O noivo foi considerado culpado de homicídio, tentativa de homicídio, destruição de provas e administração de uma droga para causar danos.

A promotoria pediu a pena de morte para o criminoso, mas uma nova sessão do tribunal ainda decidirá a pena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *