Piloto relata inseguraça no aeródromo de Caicó após instalação de torre de alta tensão na cabeceira da pista

Ouvir Áudio

A queda da aeronave king air, que matou a cantora Marília Mendonça e mais 4 pessoas nesta sexta-feira, no interior de Minas Gerais, depois de ter atingido uma torre e fios de alta tensão, chama atenção para a situação do aeródromo de Caicó, no Rio Grande do Norte.

A Cosern instalou uma rede de alta tensão no bairro Alto da Boa Vista, perto da cabeceira da pista do aeródromo.

Na semana passada o piloto de empresa de táxi aéreo, Eufrásio Júnior, que pousou em Caicó, em uma aeronave exatamente igual a que caiu com Marília Mendonça, relatou a preocupação com a rede que não tem qualquer sinalização visual.

Esse mesmo piloto já tinha pousado em Caicó outras vezes antes da instalação dessa rede elétrica e relatou ao canal aeroporto de Caicó o risco que essa situação pode causar.

Segundo Eufrásio, para pousar com segurança ele chega a perder 100 metros de pista.

Ele chama atenção das autoridades, para que possam averiguar essa situação para evitar acidentes.

Confira o áudio do piloto onde o moderador mantém contato com pilotos e posta fotos e vídeos dos aviões que pousam em Caicó.

O aeródromo de Caicó recebeu autorização da ANAC para pousos e decolagens durante o dia, mas a autorização foi concedida antes da instalação dessa torre.

Sem comando por parte dos órgãos de aviação, é o DER – responsável por rodovias – que “toma conta” da pista de pouso, mas não dispõe de funcionário fixo no local.

Também sem suporte da Agência Nacional de Aviação, as aeronaves de pequeno porte aterrissam e decolam se valendo da própria sorte, sem comunicação com nenhuma torre.

FONTE: thaisagalvao.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *