Bebê entregue a soldado americano no caos da retirada do Afeganistão está desaparecido há quase três meses

Ouvir Áudio

Foto: Omar Haidari/via REUTERS

A imagem de Sohail, o bebê de dois meses que em agosto foi entregue a soldados americanos por cima da cerca que veda o aeroporto, correu mundo.

A fotografia, de 19 de agosto, captava o desespero dos pais, Mirza Ali Ahmadi e a mulher Suraya, para salvarem o bebê que corria o risco de ser esmagado pela multidão, que se aglomerava junto à entrada do aeroporto. De acordo com o relato dos pais à Reuters, a decisão foi tomada em segundos e o objetivo era recuperar o filho quando passassem a cerca e estivessem já no aeroporto. No entanto, Sohail desapareceu sem deixar rastro.

A entrada para o aeroporto ficava a cerca de cinco metros de onde se encontravam e os milhares que ali se aglomeravam colocavam em risco a segurança do bebê pela sua tenra idade. Foram muitos os que, assim como Mirza e Suraya entregaram os filhos aos soldados para que os conseguissem salvar.

Os pais da criança só conseguiram entrar no aeroporto meia hora depois e, quando o tentaram recuperar, este já não se encontrava ali. “Procurei por todo o lado durante três dias, mas não foi nem para a área infantil. Perguntei a mais de 20 pessoas, mas não falo inglês, por isso não consegui descobrir quem era o comandante”, explicou Mirza Ali, que trabalhou como segurança na embaixada dos Estados Unidos no Afeganistão durante dez anos.

Mirza e Suraya, com os restantes filhos de 17, nove, seis e três anos, embarcaram num voo para Doha poucos dias depois e foram transferidos para a Alemanha.

O destino final foi Fort Bliss no Texas, EUA, com outros refugiados afegãos. “Os trabalhadores humanitários e as autoridades americanas dizem que farão o possível para encontrá-lo, mas são apenas promessas”, relata Mirza Ali. A família está desesperada por notícias do menino cujo paradeiro, e estado de saúde, permanecem uma incógnita. O GLOBO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *