Filho de co-piloto de Marilia Mendonça seguirá profissão do pai

Ouvir Áudio

Com o quepe do pai em mãos, o estudante de Aviação Civil Pedro Viana, de 21 anos, planeja seguir os passos do copiloto Tarciso Pessoa Viana na carreira.

O jovem, que já está no último período da faculdade, consolava e abraçava familiares e amigos no enterro do aviador, morto aos 37 anos num acidente aéreo em Caratinga, zona oeste de Minas Gerais, na última sexta-feira.

Tarciso era o copiloto do avião que levava a cantora Marília Mendonça, o tio e assessor dela, Abicieli Silveira Dias, o piloto Geraldo Martins de Medeiros Júnior, e o produtor Henrique Bahia. Todos morreram.

Para o primogênito, a maior lição que fica como ensinamento é o amor.

— Creio que ele verá minha formatura lá do céu. Creio que, quando eu receber meu diploma de aviação, meu pai vai estar muito feliz — diz Pedro, visivelmente emocionado.

O jovem exaltou a relação amor de pai e filho e o exemplo que tinha em Tarciso:

— Ele era o melhor em tudo: melhor pai, melhor amigo, melhor na aviação, melhor na igreja. Ele vivia a aviação. Quando não trabalhava, era o dia todo estudando, vendo vídeo de avião.

O copiloto foi velado e enterrado na manhã deste domingo no Cemitério de Taguatinga, no Distrito Federal. Parentes e amigos lotaram a Capela 1 do local, a 26 quilômetros de Brasília. No cortejo, o caixão foi coberto com camisas em homenagem ao copiloto e decorado com balões brancos.

Os corpos de Tarciso e do piloto vieram de carro de Caratinga, na zona oeste do estado mineiro, para Brasília. Eles foram liberados na tarde de sábado. Marília e o tio foram velados e enterrados no sábado, em Goiânia. Com a presença de familiares, amigos e fãs, a despedida foi marcada pela emoção. Henrique Bahia foi sepultado no sábado em Salvador. Já Medeiros foi velado e sepultado na manhã deste domingo em Brasília.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *