Presidente da Abrasel-RN diz que restaurantes viraram reféns do iFood, que fica com comissão de 16% a 30% do valor do alimento

Foto: Ana Marques/TechTudo

O presidente da Abrasel-RN, Paolo Passariello, se pronunciou sobre reportagem do Blog do BG que tratou de golpes usando aplicativos de delivery e foi além desta questão. Segundo o presidente da entidade, restaurantes têm sido reféns do iFood.

Com a saída de concorrentes do mercado, como o Uber Eats, o iFood passou a dominar o segmento e cobra uma taxa que, segundo Paolo, variam de 16% a 30% do valor do alimento.

“Criamos um monstro. Sim, digo criamos, porque nós mesmos, do setor de alimentação fizemos isso. Cegos, com a pandemia que avançava e sem saber nada sobre que viria pela frente, com a necessidade de faturar, alimentamos esse sistema perverso“, disse Passariello.

Paolo esclarece que as empresas do ramo de comidas e bebidas costumam operar com margem de lucro que varia de 8% a 20%, embora sejam raros os casos dos que conseguem atingir o patamar mais alto e questiona: “Será que uma empresa consegue atingir esses resultados pagando comissões tão altas? A resposta é não! É o cliente quem paga mais caro para um serviço ou produto que poderia pagar mais barato”.

“O cliente também é afetado. Na realidade ele não escolhe, mas é induzido para isso. A verticalização do iFood, presente em varias fases desta cadeia, (aplicativo de pedido, forte propaganda, meios de pagamentos, vales refeições com cashback e descontos absurdos pagos pelos estabelecimentos), faz com que o iFood consiga direcionar o cliente para estabelecimentos onde o aplicativo tenha mais rentabilidade“, finaliza Paolo.

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.