660 mil pessoas já fugiram da Ucrânia depois da invasão, diz ONU

A guerra na Europa já fez com que ao menos 660 mil pessoas fugissem da Ucrânia. Os números foram divulgados nesta terça-feira (1º/3) pela Acnur (Agência da ONU para Refugiados). “Nesse ritmo, a situação parece se tornar a maior crise de refugiados da Europa neste século”, diz a agência da ONU (Organização das Nações Unidas).

A Acnur estima que o número de pessoas que precisarão fugir da Ucrânia pode chegar a 4 milhões se a situação do país piorar. A agência afirma que está aumentado suas operações no país para fornecer ajuda humanitária. A situação naquela região do Leste Europeu piora a cada dia e o número de refugiados está aumentando. Na quinta-feira (24.fev), primeiro dia da guerra da Rússia contra a Ucrânia, o número era cerca de 150 mil pessoas. Já na segunda-feira (28.fev), eram 500 mil.

Os países que estão recebendo as pessoas que fogem do território ucraniano são Polônia, Hungria, Romênia e Moldávia. Essas nações têm fronteiras com a Ucrânia. A Acnur afirma ainda que “um número considerável” de pessoas foi para a Rússia, mas não fornece número de pessoas acolhidas por cada país.

Os refugiados são tanto ucranianos como pessoas de outras nacionalidades que viviam na Ucrânia no momento que a guerra começou. A Acnur pede que os governos continuem recebendo os refugiados, independentemente de qual seja o país de origem. “Ressaltamos que não deve haver discriminação contra nenhuma pessoa ou grupo.”

O órgão da ONU também pede que os civis sejam protegidos, assim como as infraestruturas civis ucranianas. A Acnur lembra que a proteção da população civil durante conflitos é prevista em leis humanitárias internacionais. Nesta terça-feira (1º), a guerra entre a Ucrânia e a Rússia entrou em seu 6º dia. Segundo a Ucrânia, áreas civis estão sendo atacadas pelos russos.

Nas primeiras horas da madrugada, sirenes que alertam sobre possíveis ataques aéreos soaram em Kiev e nas cidades de Vinnytsia, Rivne, Volyn, Ternopil, Rivne Oblasts e Kharkiv, segundo o jornal local Kyiv Independent. No 5º dia de ataque russo à Ucrânia, na segunda-feira (28), o presidente Volodymyr Zelensky afirmou que, desde o início da guerra, a Ucrânia foi atingida por 56 ataques com foguetes e 113 mísseis de cruzeiro.

A Rússia e a Ucrânia realizaram uma primeira rodada de negociações na segunda-feira (28), na fronteira de Belarus. O encontro terminou sem acordo. Uma nova reunião será marcada nos próximos dias.

Poder 360

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.