Acusada de envenenamento também ofereceu feijão para mãe de enteados

Madrasta suspeita de envenenar dois enteados no Rio, Cíntia Mariano pode ter agido de forma fria e premeditada, conforme apontam as investigações da polícia. De acordo com uma conversa obtida pela TV Globo, Cíntia Mariano Dias Cabral, que foi presa na última sexta-feira (22/5), teria oferecido “feijão fresquinho” para Jane Carvalho, mãe dos enteados.

Fernanda Carvalho, de 22 anos, foi morta em março após comer feijão preparado por Cíntia. Já Bruno, de 16 anos, ficou internado depois de ter comido o mesmo alimento com “chumbinho”, servido pela madrasta.

A oferta teria sido feita logo depois da morte de Fernanda, até então dada como sendo por causas naturais. No diálogo, Cíntia teria dito: “Tem feijão fresquinho. Tem que comer, Jane”.

Intoxicação

Bruno passou mal depois de almoçar na casa da madrasta, no último dia 17. O jovem foi internado com os mesmos sintomas que sua irmã teve antes de morrer. A situação de Bruno levantou suspeitas sobre a morte de Fernanda, e a polícia passou a investigar o caso.

Cíntia Mariano teve prisão temporária decretada pela Justiça. Segundo um de seus filhos, ela teria confessado os dois crimes logo depois de tentar envenenar Bruno. Ele também disse que Cíntia alegou gesto “por amor” ao companheiro, pai das vítimas.

Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.