Amber Heard e Johnny Depp são condenados; atriz deve pagar US$ 15 milhões ao ator

Os dois foram casados entre 2015 e 2017. Um processava o outro por difamação: ele alegou que ela o difamou em um artigo de jornal; ela disse ter sido difamada por um antigo advogado dele.

Johnny Depp não estava presente no tribunal e assistiu à decisão por vídeo, da Inglaterra, onde está para fazer um show com Jeff Beck. Amber Heard presenciou a decisão no tribunal.

O casal se conheceu em 2011 enquanto filmava “Diário de um Jornalista Bêbado”, e se casou em 2015. O divórcio foi finalizado cerca de dois anos depois.

Linha do tempo

2016 – A primeira acusação
A briga judicial entre Johnny Depp e Amber Heard começou em 2016, quando ela processou o marido por violência conjugal. As acusações foram retiradas durante o processo de divórcio. Em 2018, no entanto, o tabloide inglês publicou um texto no qual afirmava que Depp era um marido violento, questionando como a escritora J.K. Rowling poderia aceitá-lo no elenco do filme Animas Fantásticos, spin-off do universo de Harry Potter. O ator processou o jornal, mas perdeu o caso em março deste ano.
2018 – Um artigo no ‘Washington Post’

Também em 2018, sem citar Depp, Amber Heard escreveu um artigo no jornal Washington Post no qual falava de abusos sofridos desde a infância. O texto não citava Depp, mas fazia referência ao fato de que, ao se pronunciar publicamente sobre assédios sofridos, ela sofrera perseguição, com projetos profissionais sendo cancelados.
Em seguida, a atriz abriu um processo contra Depp, pedindo US$ 100 milhões. Ela o acusa de agressões e de comportamento violento. O ator tentou derrubar o caso, mas a justiça norte-americana manteve sua validade em março deste ano. Ao mesmo tempo, Depp abriu processo de difamação contra Heard, afirmando que suas acusações eram uma “farsa elaborada” e que ele havia sofrido agressões da parte da atriz.
11 de abril – O julgamento
O caso foi a julgamento, que teve início no dia 11 de abril e segue sendo realizado no Estado da Virgínia, nos Estados Unidos
Em seus argumentos iniciais, os advogados de Heard afirmaram que a atriz viveu um inferno durante seu casamento com Depp, que teria se revelado “um monstro por conta do consumo de drogas e álcool”, com ataques de raiva que levavam a agressões verbais, físicas e sexuais. Já os advogados de Depp iniciaram seu trabalho na corte afirmando que ela se comportava de forma violenta contra ele e que o processo movido pela atriz tinha como motivação uma vingança pessoal pelo fato do ator ter pedido o divórcio.
12 de abril – Irmão de Depp e terapeuta do casal depõem
Um dos primeiros depoimentos, no dia 12 de abril, foi o da irmã de Depp, Christi Dembrowski, que contou ao júri sobre os abusos sofridos por ela e o irmão na infância. Segundo ela, a mãe os agredia constantemente e, por conta disso, Depp seria incapaz de reproduzir esse comportamento. Em seguida, o tribunal ouviu a terapeuta do casal, Laurel Anderson, segundo quem havia “abuso mútuo” na relação do casal. “Ambos foram vítimas de abuso em suas casas. Acho que ele [Depp] se manteve sob controle por décadas até Heard ficar fora de controle e eles se envolverem no que chamo de abuso mútuo”, afirmou, ressaltando que diversas vezes viu hematomas no rosto da atriz. “Sim, Depp saía para diminuir a intensidade da briga, ela bateu nele para mantê-lo ali porque preferia brigar do que ficar sozinha.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.