Após êxito em 2021, anunciar no ‘BBB’ pode custar até R$ 92 milhões

Participar da casa mais vigiada do Brasil ficou mais caro para as marcas. Depois do sucesso de audiência em 2021, o Big Brother reajustou os preços de patrocínio acima da inflação – que fechou o ano em 10,06% – e chega à 22.ª edição com cotas custando até R$ 92 milhões, ou 17% a mais do que no ano anterior.

Entre as principais marcas do programa estão nomes como C&A, McDonald’s, Above, Avon e Americanas. A lista de estreantes inclui QuintoAndar, 99 e TikTok – o que mostra que o programa também atrai as companhias do mundo digital.

Com preços mais salgados que no ano anterior, os investimentos para participar dessa edição foram divididos em três cotas principais: Big (R$ 91,9 milhões), Camarote (R$ 69,6 milhões) e Brother (R$ 11,8 milhões), além de outras opções de menor valor. As informações constam de apresentação do programa ao qual o jornal O Estado de S. Paulo teve acesso.

A edição de 2021 foi considerada histórica, por registrar o maior índice de audiência dos últimos nove anos. Segundo a Rede Globo, 163 milhões de telespectadores e 4,7 milhões de internautas foram alcançados.

Para o consultor em marcas Luciano Deos, da consultoria GAD, após se renovar durante a pandemia, o reality show se consolidou como um dos principais eventos do calendário publicitário do País. “O BBB deixou de ser só um programa de TV e virou um fenômeno de popularidade”, afirma Deos.

Na nova temporada, as marcas também olham para o “burburinho” que a atração causa na internet. Para cuidar das sua ações dentro e fora de casa, a C&A escalou um time de cerca de 200 pessoas. Em sua terceira edição, a marca aderiu à cota Camarote, a segunda mais abrangente.

“Em 2021, o BBB tomou conta da nossa comunicação em todo o primeiro semestre. Foi um sucesso que queremos repetir”, diz o gerente de marketing da C&A, Fernando Sahb.

Na lista de patrocinadores da cota Brother, a Above – marca do grupo Baston – aumentou sua participação no BBB depois de cair na “boca do povo” na última edição.

“Agora tem mais gente perguntando do nosso produto e mais pontos de venda querendo vendê-lo”, conta o presidente da Baston, Gustavo Bacila.

De olho nessa visibilidade, a fintech imobiliária online QuintoAndar também chega ao Big Brother como patrocinador. O investimento faz parte do plano de expansão da companhia em território nacional.

Fora da lista de patrocinadores, algumas marcas tentam surfar na onda do programa. O Santander, por exemplo, lançou uma campanha no intervalo do Fantástico, estrelada por três ex-vencedores.

“Para nós é uma oportunidade de visibilidade”, diz o diretor de marketing do banco, Igor Puga.

Estadão Conteúdo

 

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.