Foragido após matar a companheira, de 19 anos, e a enteada, de 2, Wanderson Mota Protácio teria cometido o crime com requintes de crueldade. Segundo tios da vítima, que reconheceram os corpos após o crime, o suspeito teria degolado e esfaqueado Raniere Aranha Figueiró e Geysa Aranha da Silva Rocha, filha da jovem. A moça estava grávida de 4 meses e, mesmo assim, recebeu diversas facadas na barriga.

“Ele maltratou demais elas”, disse a tia de Raniere, Helena Aparecida Figueiró. Sem conseguir conter as lágrimas, a familiar relata como viu Geysa. “Ela estava com um ferimento de faca embaixo do queixinho e outro abaixo do peito”, relatou.

Segundo o tio de Raniere, Odair José Coelho, as mortes foram muito violentas. “Na Raniere, ele faz várias perfurações na barriga. E, inclusive, ela estava grávida de 16 semanas de um filho dele. Muito frio e calculista, ele cortou o pescoço da Raniere”, contou. A moça tinha escoriações nos dedos. De acordo com a família, Wanderson vivia com a vítima havia aproximadamente 5 meses.

A família pede justiça. “A gente quer ver ele atrás das grades. Pedimos à Deus, à própria polícia e à população que nos ajudem a ver ele atrás das grades”, pontuou Odair. Raniere e a filha foram enterradas na manhã desta terça-feira (30/11), no cemitério da cidade de Corumbá de Goiás (GO).

Segundo o tio de Raniere, Odair José Coelho, a família vive um momento de dor incomparável. Os parentes esperam, agora, que a Polícia Civil de Goiás (PCGO) capture o acusado, foragido desde o dia do crime. Aproximadamente 50 homens foram mobilizados em uma força-tarefa, que atua na região de Abadiânia, à caça de Wanderson.

Depois das buscas que mobilizaram as forças de segurança de Goiás e do DF por Lázaro Barbosa, em junho deste ano na mesma região, esta é a primeira vez que a polícia goiana reúne forças de várias cidades para encontrar um foragido.

O assassino

Vindo do Maranhão para trabalhar no cultivo de tomate no município goiano, Wanderson se relacionava com Raniere havia cinco meses. A moça estava grávida de 16 semanas.

Amigos das vítimas acompanhavam o velório, nesta terça-feira (30/11), estarrecidos. Segundo eles, não havia registro de briga entre o casal e Wanderson tratava a enteada muito bem. O crime chocou os moradores do município, que tem, atualmente, cerca de 11 mil habitantes.

Após assassinar a esposa e a criança, Wanderson ainda invadiu duas fazendas. Na primeira, roubou um revólver. Na segunda, matou um fazendeiro, identificado como Roberto Clemente de Matos, tentou estuprar a esposa dele. Ele acetou o ombro da mulher com um tiro e levou o carro do casal.

Homem preso

A Polícia Civil de Goiás prendeu, ainda na tarde de segunda-feira (29/11), em Alexânia, um homem que teria comprado um celular de Wanderson. De acordo com a investigação, o aparelho pertencia a Cristina Nascimento Silva, esposa do fazendeiro morto com tiro na cabeça.

“Ele vendeu esse celular para juntar dinheiro, e a polícia conseguiu identificar esse comprador, que foi preso por receptação”, disse o delegado Tibério Martins, responsável pela caçada ao fugitivo. Tibério disse ainda que o Wanderson está “desesperado por dinheiro” para fugir de Goiás.

Do Metrópoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui