Familiares e amigos do pescador Manoel Modesto da Silva, de 53 anos, que foi morto atropelado em Touros, no litoral Norte do RN, na segunda-feira passada (27), fizeram um protesto cobrando justiça às autoridades na tarde desta quarta-feira (28).

O manifesto aconteceu porque o turista que dirigia o veículo que atropelou o pescador foi solto na audiência de custódia nesta manhã e poderá responder em liberdade pelo crime. O carioca de 36 anos, que mora na Europa, pagou fiança de 10 salários mínimos e teve suspenso o direito de dirigir.

Os familiares e amigos protestaram fechando a RN-023 e colocando fogo exatamente no trecho em que o pescador foi atropelado. As faixas pediam “Justiça por Manoel”.

Atropelamento
O atropelamento aconteceu no início da manhã de segunda-feira (27). Eduardo afirmou que foi uma das primeiras pessoas a chegar ao local do acidente e começou uma busca, junto com outras pessoas, pelo suspeito.

Segundo ele, após atropelar Manoel, o turista abandonou o carro modelo Jeep Compass em uma rua de São Miguel do Gostoso – cidade vizinha – e fugiu, mas foi localizado o hotel onde estava hospedado. A Polícia Militar foi acionada e deu voz de prisão ao suspeito.

Polícia Civil diz que informações estão no processo
Apesar disso, a Polícia Civil contestou a versão da família e afirmou que o homem foi autuado por homicídio culposo e omissão de socorro e recebeu voz de prisão em flagrante. A polícia diz que também consta no procedimento que o suspeito se recusou a fazer o teste do bafômetro.

Além disso, a corporação ainda afirmou que o homem também foi autuado por posse de droga para consumo – uma vez que não havia indício de tráfico. Quando o homem chegou à delegacia já não tinha sinais visíveis de embriaguez e a Polícia Militar também não registrou constatação de embriaguez, segundo informou a Civil.

Fonte: g1

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui