Homens armados invadem casa e matam pai e filha, de quatro meses, em Pirapora

Mãe da criança contou à polícia que eles estavam deitados na cama quando quatro homens chegaram atirando. Maya Victória Pires de Jesus foi atingida no tórax e morreu no local.

Por Marina Pereira, g1 Grande Minas

Maya Victória Pires de Jesus foi atingida com um tiro no tórax — Foto: Divulgação

Um jovem, de 22 anos, e a filha dele, de quatro meses, foram mortos a tiros dentro de casa em Pirapora, no Norte de Minas, neste domingo (15).

A mãe da criança contou à polícia que os três estavam deitados na cama e a filha mais velha dormia no berço, quando quatro homens armados invadiram a residência.

Pai e filha foram mortos dentro de casa — Foto: Divulgação

Ainda segundo a mulher, os homens já chegaram atirando e a única reação que o marido teve foi de pegar a criança que estava no berço e se agachar ao lado da cama para protegê-la.

Maya Victória Pires de Jesus que dormia na cama foi atingida no tórax e chegou a ser socorrida pelo Samu, mas não resistiu e morreu no local.

De acordo com a PM, a perícia constatou que Rodrigo Pereira de Jesus foi atingido com três tiros no braço, três nas nádegas, dois no abdômen, um no rosto e um nas costas, além de nove facadas nas costas. A perícia recolheu no local quatro projéteis e cinco estojos de munição calibre 380.

Ainda segundo a polícia, a mulher relatou que o marido estava recebendo ameaças pela internet. Ela contou ainda que em data anterior, ele teria quebrado o braço de uma mulher durante uma briga e o marido desta vítima passou a ameaçá-lo.

A polícia fez buscas na casa do homem, mas ele não foi localizado. O rastreamento pelos suspeitos continua e até a publicação desta reportagem, ninguém havia sido preso.

Por telefone, o delegado Bruno Bastos informou ao g1 que foi instaurado um inquérito, nesta segunda-feira (16), para investigar o caso. A polícia trabalha com a hipótese de que a motivação do crime pode estar relacionada com a briga que a vítima se envolveu.

“Os corpos das vítimas passaram por necropsia no Instituto Médico Legal e foram liberados ainda no domingo. Vamos iniciar as oitivas de testemunhas, principalmente da mulher que estava no local dos fatos”.

Ainda de acordo com o delegado, o inquérito deve ser concluído em até 30 dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.