Uma garota de programa e dançarina, de 21 anos, que trabalha na boate Crystal Night Club, em Cuiabá, alegou ter sido agredida em um motel por um jogador do Cuiabá Esporte Clube, durante a madrugada da última terça (7). Assessoria de imprensa do time, contudo, negou as acusações e diz que não há possibilidade de envolvimento de atleta no episódio.

De acordo com relatos da garota,  ela foi contratada por uma terceira pessoa. Ao todo, existiam 3 homens e outras duas profissionais no estabelecimento, localizado no bairro Jardim Monte Líbano.

De acordo com o boletim de ocorrência, tanto da Polícia Militar quanto da Polícia Civil, o jogador teria agredido a vítima com um caco de vidro proveniente de uma garrafa de cerveja quebrada.

Em seu relato, a profissional afirmou que houve um desentendimento entre os dois por volta das 6h. De acordo com ela, ele teria se recusado a pagar pelo programa com antecedência e, em seguida, afirmou que não faria transferência por meio do PIX, já que sua esposa tem acesso a sua conta bancária.

“Eu estava com o boné de um outro rapaz, joguei o boné na cama e ele levou isso como um insulto. Levantou da cama, começou a me socar na cara e começou a falar ‘me respeita, put*. Me respeita que aqui você não tem moral nenhuma’ “, afirmou.

Ela, então, teria utilizado um carro de aplicativo para voltar ao seu local de trabalho. Insatisfeita com a situação teria tentado suicídio em seguida. Ela foi socorrida e encaminhada para o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC).

Outro lado

A reportagem do  entrou em contato com a assessoria de imprensa do Cuiabá, que afirmou que fato não existe e foi inventado. Ainda, disse que o jogador estava com a família no estádio.

Do RD News

Tags:

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui