Breaking News

Maus-tratos em escola: bebês eram medicados para dormir, diz polícia

Foto: Reprodução

Investigações iniciais da Polícia Cilvil indicam que Roberta Regina Rossi Serme, diretora e proprietária da Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica, ordenava que funcionárias dessem dipirona para crianças dormirem. Roberta teve a prisão decretada na última segunda-feira (21/3).

Uma das professoras da turma de 3 e 4 anos disse em depoimento que uma colega de trabalho afirmou que Roberta tinha dado a ordem para dar o medicamento anti-febre para os “bebês dormirem”.

“Ainda segundo informações iniciais, as crianças recebiam remédios como dipirona, sem prescrição médica, para que pudessem ter a pressão abaixada e com isso adormecer”, consta nos autos policiais. “Há relatos de narcotização das crianças para que elas se acalmem, com a ministração de antitérmicos”, escreveu a promotoria em 16/3.

Cobertores
Além de amarrar com lençóis e colocar no banheiro, Roberta mandava ou colocava cobertores nas cabeças dos bebês que não paravam de chorar, segundo o depoimento de três professoras e duas ex-professoras. “Essa seria uma forma de abafar o choro e força-los as dormir”, consta no processo.

Um bebê de 7 meses chegou a ficar com febre, suado, ofegante e com dificuldade para respirar. A professora afirmou que o neném, que também teria recebido paracetamol, não foi para a escola nos dias seguintes e chegou ser hospitalizado após o episódio.

Em depoimento, a mãe da criança afirmou que o filho ficou internado no hospital do Tatuapé durante dois dias recebendo oxigênio.

Castigos
As crianças com mais de 2 anos eram obrigadas a ficar na sala da diretora em pé ou sentadas no chão por horas sem poder comer ou ir ao banheiro.

“As crianças maiores são severamente castigadas quando praticam algum ato de indisciplina, com narrativa de graves e intensas punições corporais”, descreve o documento.

A professora relatou que os alunos “morriam de medo” e alguns “choravam” quando a “sala da Roberta” era mencionada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.