Mulher descobre câncer avançado meses após procurar ajuda e médico dizer que era gordura

Uma mulher de 46 anos disse que, ao sentir dores no seio direito procurou um posto de saúde de Cuiabá, e o médico disse que era gordura e que ela precisava emagrecer. Edileny Mayre de Oliveira fez a primeira consulta médica em 2019, depois de ter sentido dores fortes quando a filha colocou a cabeça nos seios dela.

Três meses depois, ela recebeu o diagnóstico de câncer e até hoje faz tratamento. Ela já retirou as duas mamas. No posto de saúde, o médico falou para ela não se preocupar e falou que poderia ser gordura.

O médico pediu que fosse feita uma ultrassonografia e uma mamografia e perguntou porque ela estava fazendo esse exame. A paciente explicou a ele que sentia muitas dores. Após o exame, conforme Edileny, o profissional disse que, de fato, era gordura e que ela não precisava se preocupar, porque o nódulo iria sumir.

Edileny pegou o resultado e levou a outro médico, que também disse que era gordura e que não era nada. Contudo, ela pediu que fosse marcada uma cirurgia mesmo que fosse em um hospital particular porque ela não queria ficar com aquele nódulo e o médico falou que não recomendava porque iria ficar com uma cicatriz muito grande passou um remédio para ela tomar.

“Fui para casa e com o passar dos tempos os meus seios cresceram muito e começaram a doer e até perdi o movimento do braço direito”, contou.

Ela foi ao posto de saúde novamente três meses depois e o médico a encaminhou para o Hospital do Câncer, quando recebeu o diagnóstico de câncer de mama, em estágio avançado.

“Comecei a fazer a radioterapia e tive que parar de novo para retirar o útero, as trompas e o ovário. E quando saí do hospital, tive que voltar no outro dia para fazer a última radioterapia. Fiz a cirurgia e comecei a fazer a quimioterapia. Na sétima sessão apareceu outro nódulo no seio esquerdo. E então parei com a quimioterapia”, disse.

G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.