Na minha juventude, muitos falavam que eu seria uma ótima mae, afinal as crianças

me amavam e eu amava interagir com elas
Mas a verdade é que ser mãe é ser confrontada com sua verdadeira identidade. É ver nossos maiores defeitos serem percebidos pelos nossos filhos e muitas vezes repetidos por eles.
Ser mãe é uma nova fase da nossa vida que todos deveriam passar, pois diferente de todas as outras, esta fase eu gosto de chamar de a fase do verdadeiro amor incondicional.
Nela, eu descobri que sou uma fonte de amor inesgotável. Pois, não importa o lugar e nem hora, sempre tenho um ser pequenino querendo se sentir amado por mim.
E isso é um grande desafio para nós mães que trabalham, principalmente para mães de fardas, pois além das horas de trabalho, temos o risco da própria vida, risco este que tememos em passar depois que ouvimos os primeiros batimentos dentro de nós.
Este ser indefeso que a única coisa que busca é ser amado não quer saber a hora e nem lugar, se ele for buscar o amor, ele vai te ligar, pois somos a fonte de amor inesgotável para eles.
E sabe o que é o melhor, eles nos aceitam do jeitinho que somos.
E a melhor parte de ser mãe é que viramos a melhor mãe do mundo. Pelo menos é o que minha filha me fala.
Depois que aprendi isso, descobri que eu não perdia horas de sono, mas fazia minha filha ganhar horas de amor comigo.
Mãe, ponha a mão no seu coração e diga a você mesma, está tudo bem. Eu sou a melhor mãe que o meu filho poderia ter.
Mae, se aceite! Se ame, pois Deus nos mandou amar o outro como a nós mesmos, então primeiro se ame. Se ame tanto ao ponto de se encher deste amor até transbordar. Transbordar tanto ao ponto de poder encher os coraçõezinhos que têm vocês como Fonte inesgotável de amor
Não sou mulher maravilha, e muito menos a pessoa mais paciente, mas procuro fazer valer a pena cada segundo que tenho de vida ao lado das minhas filhas. Porque, como dizia Ana vilela em sua musica Trem Bala, a vida é trem bala parceiro e a gente é só passageiros prestes a partir.
Parabéns a todas melhores mães do mundo!

Texto:

3º Sargento Aline dos Santos Laranja Vilefort

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.