Porto do Mangue chega aos 26 anos de emancipação. Sem ser poeta, mas fingindo ser [que me desculpe Fernando Pessoa], tracei esses versos simples, retratando o momento especial que hora vive a cidade princesinha do litoral.

Quis o assim o destino

I

Porto do Mangue avança

com um gestor interino

assumindo a liderança

O conterrâneo Faustino

Que trouxe esperança

Para velho e menino

Ganhando confiança

Como filho genuíno

Da terra da pujança

Como diz seu hino.

II

Das grandes lideranças

o saudoso Zé Domingos

Presentes na lembrança

Lembro Mauro Marcelino

Que teve sua importância

Igualmente a Celestino

Com toda perseverança

Sem ter muito ensino

Deixou como herança

O legado pelo caminho .

III

No rio e na maré mansa

com seu barco bico fino

A marisqueira Terezinha

Com sua reca de menino

Buscando naquela lama

O precioso marisquinho

Disso ela nem reclama

Da sua sorte mesquinha

Por isso ganhou fama

Como mulher ribeirinha.

IV

Com fé e esperança

No espirito natalino

Nessa ampla aliança

Ao lado de Faustino

Sob a sua liderança

Todos vão se unindo

Firme na militância

Destaco o Juscelino

Homem de confiança

Do prefeito interino.

V

Uma cidade criança

Com seu chão salino

Reflete a abundância

Sob o sol reluzindo

Raia uma esperança

No oceano cristalino

Cheio de bonança

Beleza e fascínio

Bem-aventurança

Um presente divino.

VI

Parabéns Porto

Do Mangue,

Do Amor,

Da paz!

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui