Parlamentares de partidos que planejam lançar candidatos da chamada “terceira via” estão preocupados. O temor é que, caso as candidaturas presidenciais se concretizem, acabem utilizando parte importante do fundo eleitoral.

O temor é compartilhado principalmente entre parlamentares do PSDB e do MDB, que pretendem lançar respectivamente o governador de São Paulo, João Doria, e a senadora Simone Tebet para a disputa presidencial.

Os emedebistas deverão ser o terceiro partido a receber a maior fatia do fundo eleitoral. Já os tucanos deverão ocupar a sexta colocação na divisão.

Caso as siglas não lancem candidato ao Palácio do Planalto, deputados que tentam a reeleição terão um porcentual maior na divisão interna do partido, já que não haverá necessidade de financiamento de um candidato majoritário em uma eleição nacional.

Por outro lado, pré-candidatos argumentam que um nome na eleição para presidente consome uma fatia considerável do fundo, mas que serve também como palanque para que candidatos à Câmara dos Deputados apareçam mais.

Metrópoles

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui