Polícia descobre esquema de golpistas que forjavam casamentos com mortos para receber pensão do INSS

Foto: Reprodução

A Polícia Federal (PF) desarticulou, nessa quinta-feira (9/6), associação criminosa especializada em fraudes contra a Previdência Social em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro. A investigação apurou que a quadrilha forjava, com documentos falsos, casamentos inexistentes entre o segurado previdenciário falecido que não deixou dependente válido e um suposto companheiro.

Dessa forma, o grupo pleiteava benefícios previdenciários e assistenciais, sobretudo pensões por morte. Até o momento, as investigações contabilizam cerca de 700 casos de subsídios concedidos com indícios de irregularidades. Essa ocorrências geraram desvios orçados em R$ 21 milhões.

Além disso, os criminosos contavam com a participação ativa de servidores do INSS, que criavam as tarefas e movimentavam os sistemas informatizados da Previdência Social.

Outro modus operandi identificado com as investigações dava-se mediante a reativação, sem pedido, de benefícios previdenciários previamente suspensos/cessados, ou que estavam com pagamentos represados.

Além da participação de servidores do INSS, o grupo criminoso contava com o apoio de advogados, despachantes e até mesmo de um escrevente que trabalhava em cartório de títulos e documentos.

Os investigados responderão pelos crimes de estelionato previdenciário, associação criminosa, falsificação de documento público e particular, uso de documento falso e peculato eletrônico. Somadas, as penas ultrapassam 15 anos de reclusão.

Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.