Professor leva churrasqueira para escola e queima máscaras na sala

Após a liberação do uso de máscaras no estado de São Paulo, na última quinta-feira (17/3), um professor estadual levou para a escola em que trabalha, na zona sul da capital, uma churrasqueira para que ele e alunos queimassem a proteção facial.

O caso aconteceu na sexta-feira (18/3), na Escola Estadual Francisco de Paulo Vicente Azevedo, no Jardim Ângela. Na ocasião, um estudante registrou o momento com entusiasmo.

Na gravação, é possível ver o momento em que o professor joga álcool em uma pilha de máscaras que estava dentro da churrasqueira. Alunos comemoram a atitude. Em um trecho um deles diz: “Ae, professor coloca fogo”. E completa: “estamos livres desse coronavírus”. Em nota ao Metrópoles, o sindicato dos professores do estado diz repudiar a atitude do professor.

“A Apeoesp Santo Amaro, sindicato das professoras e professores, vem através desta nota repudiar com veemência a atitude de um professor de uma escola pública estadual localizada na Zona Sul. No vídeo recebido pelo sindicato, crianças são incentivadas a queimarem máscaras jogando-as dentro de uma churrasqueira. Máscaras salvam vidas, fazem parte de protocolo de proteção. Achamos, inclusive, que o Governo do estado erra ao liberar o uso de máscaras nas escolas. Pediremos a apuração dos fatos a Gestão da escola, Diretoria de Ensino e SEDUC.”

A direção estadual do sindicato, aponta para exposição das crianças e adolescentes, desrespeito às normas de segurança e negacionismo por parte do professor. Ao Metrópoles, a diretoria da entidade diz ainda que discorda da posição do governo do estado em liberar o uso de máscaras e que “cria ambiente propício a atitudes como a do professor” em questão.

A Secretaria de Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) também se manifestou e disse repudiar qualquer ato que coloque em risco a segurança dos alunos. A pasta também afirma que está apurando o caso para que todas as medidas cabíveis sejam tomadas.

“Assim que tomou conhecimento, a direção da escola advertiu o professor e a Diretoria de Ensino está pedindo o afastamento do professor das atividades docentes a partir de segunda-feira. O caso foi registrado no Placon, plataforma que monitora as ocorrências e o dia a dia escolar, e a equipe gestora fará junto ao Conviva um trabalho de conscientização com os professores e estudantes sobre o ocorrido”.

Ainda de acordo com a Seduc, os responsáveis pelos alunos que aparecem no vídeo foram chamados para reunião na escola na próxima segunda-feira (21/3).

Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.