Banhistas no Arpoador curtem dia de verão com 39,5º C e sensação térmica de 50,7º C.

O verão no hemisfério Sul começa oficialmente às 12h59 desta terça-feira (21). É o solstício de verão. Para o Rio Grande do Norte, a estação tem previsão de calor, chuvas e bastante umidade. É o que estima o meteorologista Gilmar Bristot, chefe do deparmento de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn).

“Vai ser um verão um pouco mais úmido do que o do ano passado, que tivemos pouca chuva. Então, provavelmente teremos sensação térmica de mais calor, pois teremos mais umidade na atmosfera”, disse.

Sabe aquele calor que fica mais intenso logo após uma chuva nesse período mais quente? Ele é provocado pela atuação da umidade. O especialista explicou como é o funcionamento do fenômeno.

“Provavelmente, teremos sensação térmica de mais calor, pois teremos mais umidade na atmosfera. Teremos também momentos de chuva, diminuindo um pouco a temperatura. Mas, em seguida, quando o sol aparece tem o aumento do calor devido a evaporação, aumento da umidade. A umidade, aqui em baixas altitudes, funciona como efeito estufa, mantendo o calor aprisionado e aumentando a temperatura”, esclareceu.

Chuvas no RN

Até fevereiro, a previsão é de boas chuvas. Já em março, no período de chuvas no Rio Grande do Norte, as análises mostram chuvas no normal ou um pouco acima do normal.

“A expectativa é de chuvas boas, na pré-estação chuvosa até meados de fevereiro. Para a frente, teremos a estação de chuva e a previsão é que seja de normal a acima do normal”, estimou Bristot.

Ainda de acordo com o meteorologista, o verão deve ser de calor. “No interior do estado, as temperaturas máximas deverão chegar a 37ºC, 38ºC. Aqui no litoral, devem chegar até 32ºC, com sensação térmica até 35ºC”, finalizou.

No país

De acordo com o prognóstico climático divulgado pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), as chuvas no verão serão acima da média na maior parte do país, com exceção do extremo sul do Rio Grande do Sul, nordeste de Roraima e leste do Nordeste.

Segundo o boletim, nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, as chuvas serão ocasionadas principalmente pela atuação da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), enquanto no norte das regiões Nordeste e Norte, a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) é a responsável pela ocorrência de chuvas.

Em média, os maiores volumes de precipitação podem ser observados sobre as regiões Norte e Centro-Oeste, com totais na faixa entre 700 e 1.100 mm.

O prognóstico indica que há uma probabilidade superior a 60% de que se mantenha o fenômeno La Niña durante o verão, podendo atingir a intensidade de moderado entre este mês de dezembro e janeiro/2022.

O verão tem dias mais longos que as noites. A estação termina no dia 20 de março de 2022, às 12h33, dando lugar ao outono.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui