É fato que o ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), está percorrendo o Rio Grande do Norte de ponta a ponta, já que faz questão de registar em suas redes sociais as diversas viagens e encontros com lideranças do Litoral ao Sertão. Também é fato que o pedetista vai concorrer a algum cargo eletivo nas Eleições Gerais de 2022.

 

No entanto, quando o assunto é: Carlos Eduardo Alves será candidato a qual cargo em 2022? O ex-prefeito desconversa e deixa a resposta em aberto. Porém, nas entrelinhas, assume o desejo de disputar o governo do Estado, mas que para alcançar seu objetivo, terá que aglutinar forças políticas em torno de seu nome.

 

“Eu quero sentar na cadeira que Fátima está sentada. E só tem uma. Eu tenho que ganhar dela para sentar nesta cadeira”, afirmou o ex-prefeito, tecendo comentários que ao longo dos anos teria sido aliado de Fátima. Recentemente, em entrevista à Liberdade FM de Parnamirim, Carlos Eduardo afirmou que pretende disputar a cadeira da governadora Fátima Bezerra (PT).

 

Com seus argumentos, Carlos Eduardo gera outra incógnita: ao mesmo tempo que manifesta ser oposição à governadora, se diz disposto a dialogar com a mesma. “Isso é um processo político de construção, e eu tenho conversado com as forças políticas do Rio Grande do Norte sem qualquer preconceito ideológico. Claro que eu tenho meu ideário político e não o revogo, mas também político que não dialoga, fica só. Então, eu não tenho nenhuma dificuldade em falar com a governadora Fátima Bezerra”, declarou.

 

O ex-prefeito, estando disposto ao diálogo com Fátima, informou que o seu partido não descarta a possibilidade dele disputar uma vaga no Senado Federal. “O PDT sabe que não é uma questão pessoal eu disputar o governo do Estado. O PDT sabe que devemos atrair aliados. Estou lutando para conseguir as alianças políticas, caso não as consiga, meu partido acredita que devo concorrer ao Senado da República”, comentou Carlos Eduardo, ventilando uma possível composição com a governadora Fátima Bezerra na chapa majoritária, e evidenciando o seu potencial eleitoral, dizendo que, em 2018, apesar de ter perdido para Fátima Bezerra em 90% dos municípios, teve uma votação expressiva na região metropolitana de Natal.

 

Questionados sobre um encontro com o ministro das Comunicações Fábio Faria, Carlos Eduardo não negou a reunião, mas descartou qualquer composição ou apoio ao ministro. A conversa com o ministro seria no tom de uma chapa Carlos Eduardo – governador, Fábio – senador. “Temos amigos em comum que fizeram este encontro. Eles me perguntaram se eu poderia estar presente e respondi que sim, afinal é um ministro de Estado. Eu fui lá e conversei, agora a nossa dificuldade está na questão nacional. A condição para fechar com Fábio Faria é apoiar o presidente Bolsonaro, então aí realmente não prospera, não dá”, frisou.

 

Em relação ao prefeito de Natal Álvaro Dias (PSDB), o pedetista afirmou que nutrem um respeito mútuo e citou que o atual gestor do município de Natal manteve muitos secretários ligados a ele, porém não seria uma via com a qual pudesse contar. “Álvaro tomou o rumo dele”, limitou-se a dizer. Carlos Eduardo durante toda a entrevista lembrou o legado de seu pai Agnelo Alves, político influente no Rio Grande do Norte. As informações são do portal Agora RN.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui