Homem é preso com 27 cavalos que seriam abatidos para fabricar mortadela

Um homem foi preso em flagrante na manhã deste domingo (18), em Aral Moreira (MS), por transportar cavalos que seriam abatidos ilegalmente para consumo humano no Paraguai.

O que aconteceu

O suspeito, de 48 anos, foi detido enquanto transportava 27 cavalos, sendo 13 fêmeas e 14 machos. A fiscalização foi feita na rodovia MS-386, em frente à Escola Municipal Maria de Lourdes Fragelli, por volta das 4h30.

A carne do animal seria usada na produção de mortadela e outros embutidos de origem animal, segundo a polícia. Os animais teriam um assentamento como destino. O homem contou aos agentes que os equinos vinham de fazendas e eram denominados pangarés. O receptador os encaminhava para consumo humano no Paraguai.

O indivíduo preso afirmou que em média realizava quatro viagens dessa modalidade por mês. Os médicos veterinários da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) constataram que os animais estavam extremamente debilitados e com muitas lesões. Eles estavam sendo transportados em gaiola metálica sem o piso emborrachado, o que contraria as boas práticas recomendadas pelo Ministério da Agricultura, caracterizando indícios de maus-tratos.

Cada cavalo foi comprado por R$ 300 no município de Potirendaba (SP). A ocorrência foi apresentada na 1ª Delegacia de Ponta Porã e a autoridade policial decidiu pelo auto de prisão em flagrante. “A prisão ressalta a importância da repressão a alimentos descaminhados e contrabandeados sem registro no Ministério de Agricultura e Pecuária, pois a produção de alimentos com carne de animais doentes traz sérios riscos à população”, informou a Polícia Civil. Informações do UOL.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *