Caçada aos fugitivos de Mossoró passa a contar com cão “Fúria”

No 22º dia de buscas aos dois fugitivos do presídio federal de Mossoró, Rogério Mendonça e Deibson Nascimento, as equipes de buscas receberam o reforço de dois policiais penais especializados em operações especiais e um cão farejador da raça pastor-belga-malinois do Mato Grosso.

Conhecido como “Fúria”, o cão chegou ao Rio Grande do Norte nesta quarta-feira (6), para intensificar as buscas pelos fugitivos Deibson Nascimento e Rogério Mendonça. Os criminosos escaparam da Penitenciária Federal de Mossoró no último dia 14 de fevereiro, marcando a primeira fuga desde a fundação do sistema prisional federal em 2006.

O grupo, originário do Mato Grosso, aterrissou em Natal em um voo comercial e se deslocará para Mossoró em uma viatura da Polícia Penal do Rio Grande do Norte. A distância entre as duas cidades é de aproximadamente 280 quilômetros.

O cão Fúria, de sete anos, possui vasta experiência em rastreamento e captura de humanos, inclusive em terrenos acidentados e áreas de mata densa. O animal já participou de operações significativas, incluindo a captura de fugitivos do Presídio de Água Boa e a apreensão de 360 kg de drogas ocultas em um caminhão no ano anterior.

A chegada desta equipe especializada ao Rio Grande do Norte foi uma resposta a um pedido da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen). Além de Fúria, outras ferramentas e recursos estão sendo empregados nas buscas, como drones equipados com sensores térmicos, helicópteros e um contingente de mais de 600 agentes de segurança de diversas forças.

Os esforços estão concentrados principalmente na região rural de Baraúna, adjacente a Mossoró e limítrofe com o Ceará, onde se acredita que os fugitivos possam estar escondidos.

Escreva sua opinião

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *