Estudantes de medicina, pais de bebê jogado em tambor de lixo na PB, são indiciados por homicídio triplamente qualificado

Os pais do bebê que foi jogado em um tambor de lixo em Cabedelo, no mês de março, serão indiciados por homicídio triplamente qualificado. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (25), pela delegada Vanderléia Gadi. As agravantes são motivo fútil, submissão de vítima a ambiente com pouco oxigênio e o fato de os suspeitos serem genitores da vítima.

“O casal alega que o parto aconteceu por volta das 14h. No entanto, o corpo só foi descartado por volta das 20h. Então, eles tiveram muito tempo para tomar outra atitude. Se achavam que o bebê estava morto, que levassem a um atendimento médico ou chamassem atendimento emergencial. Em momento nenhum você imagina que atitude de um pai e de uma mãe diante de um recém-nascido sem vida seja descartá-lo no lixo. Principalmente porque não era uma massa disforme, não era um prematuro de duas ou três semanas. Era um bebê de 45 centímetros, pesando dois quilos. Era um bebê perfeitamente viável. Eu não entendo, até agora, por que a melhor atitude que eles imaginaram foi descartá-lo numa lata de lixo sem ter certeza sequer que ele realmente estava morto”, disse a delegada.

O corpo do bebê foi achado por um catador de material reciclável, na manhã do dia 22 de março. Os pais do bebê prestaram depoimento à polícia no mesmo dia. Eles disseram que esconderam a gestação, por medo da reação dos parentes, e que a mulher sofreu um aborto espontâneo. O descarte no tambor de lixo teria sido, segundo os suspeitos, um ato de “desespero”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *