‘Tropa do Sertão’: Conheça grupo que atua nas buscas aos fugitivos de Mossoró

Treinados para atuar nas terras áridas da Caatinga, policiais do Batalhão Especializado em Policiamento do Interior (Bepi), da Polícia Militar do Estado do Ceará (PMCE), atuam nas buscas aos fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró (RN), Deibson Nascimento e Rogério Mendonça. Cerca de 600 integrantes das forças de segurança estão mobilizados desde o dia da fuga histórica, em 14 de fevereiro de 2024.

No dia seguinte à data em que os prisioneiros escaparam, o comandante-geral da PMCE, coronel Klenio Savyo, informou que enviou militares do Bepi para fortalecer o trabalho das polícias do Rio Grande do Norte. O batalhão é especializado em combater grupos criminosos, sobretudo assaltantes que praticam roubos nos moldes do “cangaço novo”.

O Bepi também reprime o contrabando de armas e drogas, dá suporte a polícias locais no interior do Ceará e faz monitoramentos de alto risco em locais de difícil acesso. O batalhão promove, ainda, o policiamento rodoviário em regiões inóspitas, bem como nas divisas do estado.

Fundado em 18 de fevereiro de 2019, o Bepi, pertencente ao Comando de Policiamento de Choque (CPChoque), surgiu com a alteração da Lei de Organização Básica da PMCE. A unidade especializada é encarregada de lidar com ocorrências de alta complexidade em todo o território estadual.

O grupo conta com militares que atuam na posição de “caçador”, segundo a PMCE. “[Essa] é uma peça fundamental nas missões mais desafiadoras do Bepi. Com um fuzil, ele cobre a distância a ação conduzida pelos companheiros de equipe”, detalhou a corporação.

“Com uma roupa ainda mais camuflada do que a comumente usada pelos demais integrantes da equipe, o caçador parece carregar a vegetação consigo mesmo, tornando-se quase imperceptível aos olhos de qualquer inimigo”, acrescentou a corporação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *