Polícia indicia jovem suspeito de matar mãe a facadas em Caicó por homicídio qualificado

Após a conclusão de um minucioso inquérito pela Polícia Civil, um homem de 18 anos é acusado de homicídio qualificado pelo brutal assassinato da mãe, Gecinalda Dantas, de 52 anos, conhecida como “Naldinha”. O crime aconteceu em Caicó, cidade localizada no Seridó potiguar, no dia 11 de agosto.

De acordo com a polícia, o jovem será autuado por homicídio qualificado devido à presença de agravantes como o feminicídio, motivo torpe e uso de meio cruel. De acordo com a investigação, a motivação por trás do assassinato chocante foi identificada como questões financeiras.

Segundo as investigações, a vítima teria descoberto que o suspeito estava movimentando várias quantias de dinheiro das contas bancárias pertencentes a ela, sem seu conhecimento. Gecinalda foi atacada e morta a facadas, além de ter sofrido ferimentos com outros objetos cortantes, pelo próprio filho dentro de sua residência em Caicó.

No dia 2 de agosto, Gecinalda Dantas registrou um boletim de ocorrência na Delegacia Especializada em Furtos e Roubos (Defur) ao perceber que uma quantia substancial, aproximadamente R$ 31 mil, havia sido retirada de sua conta bancária sem sua autorização.

Durante as investigações, constatou-se que o filho negava qualquer envolvimento nos saques e alegava inocência. Contudo, após examinar os extratos bancários, a polícia identificou que ele estava transferindo ilegalmente fundos da conta de sua mãe para a própria conta por meio de transações PIX.

O delegado responsável pelo caso, André Oliveira, esclareceu que Gecinalda visitou a agência bancária no dia do assassinato, por volta das 12h, para relatar a falta de resposta do banco aos seus contatos. Durante a verificação, descobriu-se que o contato da agência estava bloqueado em seu celular e que outro número estava se passando por ela. Esse número pertencia ao filho da vítima, que continuava manipulando as finanças da mãe por meio de um aplicativo móvel.

A investigação também revelou que o suspeito, em seu círculo social, mantinha um comportamento enganoso sobre sua verdadeira fonte de renda, acrescentando mistério ao caso. O delegado observou que ele mentia sobre a origem de seus gastos para diferentes pessoas, informando aos amigos que trabalhava com a mãe na venda de redes e aos familiares que era aprendiz em um banco.

O corpo de Gecinalda Dantas, de 52 anos, foi encontrado dentro da casa da vítima, com múltiplos golpes de faca e ataques com dois troféus, um de acrílico e outro de madeira. Ela foi encontrada em um dos quartos da residência.
Ao chegarem ao local, os policiais encontraram o suspeito nu em um dos banheiros, como se tivesse acabado de tomar banho. Vestígios de sangue foram identificados em seus braços pela perícia.

A versão apresentada pelo jovem suspeito alegava que a casa fora invadida por três homens por volta das 17h e que ele foi atingido na cabeça, perdendo a consciência. Quando recobrou os sentidos, encontrou a mãe morta. No entanto, essa narrativa foi negada pela investigação, que não encontrou indícios de arrombamento ou invasão.

Um dia após o crime, um vizinho descobriu um saco contendo roupas molhadas e manchadas de sangue em seu terreno e alertou a polícia. O suspeito admitiu que as roupas eram suas, mas alegou nunca tê-las usado.

Na sequência, o suspeito foi interrogado novamente pela Polícia Civil, mas optou por permanecer em silêncio. O inquérito, já concluído, será encaminhado à Justiça para o devido prosseguimento legal. O acusado permanece detido na Penitenciária Estadual do Seridó, enquanto a comunidade local continua chocada com a brutalidade do crime que tirou a vida de uma mãe nas mãos de seu próprio filho.

Novo Notícias

Related posts

Leave a Comment