RN e outros seis estados têm aumento no número de casos de síndromes respiratórias

O último Boletim InfoGripe da Fiocruz divulgado recentemente apontou uma manutenção de queda ou estabilização nos casos positivos para Sars-CoV-2 na população adulta na maioria dos estados, além de possível queda ou estabilização nos casos associados ao vírus influenza A nessa faixa etária. Nas crianças, o vírus sincicial respiratório (VSR) continua como o principal identificado, porém já apresenta sinais de queda na maioria dos estados.

Em Minas Gerais, o aumento recente na população infantil pode estar associado ao crescimento do rinovírus e do metapneumovírus. O cenário nacional mostra queda nos novos casos de SRAG nas tendências de longo prazo (últimas seis semanas) e de curto prazo (últimas três semanas). Referente à Semana Epidemiológica (SE) 29, período de 16 a 22 de julho, a pesquisa tem como base os dados inseridos no Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) até 24 de julho.

Nos estados, de acordo com a análise, cinco apresentam sinal de crescimento de SRAG na tendência de longo prazo: Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rondônia e Rio Grande do Sul. O estudo verificou ainda que em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul o crescimento de SRAG se observa também nas crianças pequenas, embora em Minas os dados laboratoriais não apontem associação ao VSR. No Acre e Pará há indicíos de interrupção de crescimento de SRAG nas crianças pequenas, porém mantendo patamar elevado. No Paraná, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e Sergipe também se mantém indícios de estabilidade em valores expressivos nas crianças pequenas.

Entre as capitais, sete apresentam crescimento: Belém, Belo Horizonte, Campo Grande, Natal, Porto Alegre, Porto Velho e Vitória. “Na maioria dessas capitais o sinal está presente fundamentalmente nas crianças ou na população a partir de 65 anos. Curitiba, Rio Branco e São Paulo, embora não apresentem sinal de crescimento recente, mantêm estabilidade em patamar elevado de SRAG nas crianças pequenas”, destaca o pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do Boletim InfoGripe.

Nas quatro últimas semanas epidemiológicas, a prevalência entre os casos como resultado positivo para vírus respiratórios foi de 8,0% para influenza A, 3,8% para influenza B, 35,1% para VSR e 23,1% para Sars-CoV-2 (Covid-19). Entre os óbitos, a presença destes mesmos vírus entre os positivos foi de 18,1% para influenza A, 4,8% para influenza B, 9,5% para VSR e 45,7% para Sars-CoV-2 (Covid-19).

Ponta Negra News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *